2019 foi o ano da cantora Daíra, finalmente, encontrar uma boa parte dos fãs que conseguiu em 3 anos de trabalho de em homenagem ao Belchior em seu disco Amar e Mudar as Coisas, realizando uma turnê por diversas cidades do país financiada em parte pelo próprio público, que ansiava a chegada da artista nesses locais:
Recife, Salvador, Rio de Janeiro, Brasília, Fortaleza, Sobral, Belo Horizonte, Vale do Mucuri - o que levou a carreira da cantora para outro patamar, além de ter realizado a abertura do show do Grande Encontro, em Salvador e ter sua madrinha musical, Elba Ramalho, participando do seu show de encerramento deste projeto Belchiorano, no Teatro Rival no Rj, foi o encerramento perfeito para um projeto que a levou à categoria de melhor intérprete de Belchior, segundo Elba, segundo outros artistas da MPB e seu público; e ter seu nome citado na primeira Biografia em livro de Belchior.
A partir daí, a cantora embarcou em estúdio, no seu novo trabalho, "Mesmo antes de morrer", gravando suas faixas no Rj e em Recife com previsão de lançamento para 2020 - ano em que todas as estruturas de cultura e arte foram remexidas ( reconstruidas ou readaptadas) pela necessidade de isolamento social devido à pandemia, trazendo como consequência para os artistas do mundo todo a tarefa de nos entreter com suas lives transmitidas de casa para diminuir toda a tensão do momento.  Daíra,  então, embarcando nessa nova vivência, e como professora de canto nos presenteia com um novo projeto de ensinar pessoas no mundo todo  a cantarem e extravasarem seus sons   através da perspectiva do curso-online. O conhecimento, aprendizado e informação, ganham um outro teor globalmente, e a forma de se colocar à disposição da arte e da cultura também se modifica, levando todos, fomentadores de arte e público à internet.
Agora com sua trajetória consolidada, com as calorosas boas-vindas a um hall de estrelas da MPB concedidas por um público cada vez mais engajado, Daíra retribui todo este carinho através das suas Lives, do lançamento do seu novo trabalho "Mesmo antes de Morrer", com faixas e vídeos, e o lançamento do seu curso, com a ideia de que o canto é libertador e estimulante a toda e qualquer pessoa.
Conheça um pouco da trajetória de Daíra:
Após lançamento do seu primeiro CD Flor (jazz - MPB/ Selecionado no Prêmio da Música Brasileira) em 2014, a cantora buscava novas influências e se aprofundar ainda mais em seu ser criativo e suas mais profundas influências.
Daí veio uma turnê pelo Uruguai com parceiros tropicalistas e de tanto falar na MPB 70 e no gênio, considerado por ela, Belchior, o diretor do Selo Porangareté a convidou para um disco somente de releituras dele, gravado em Julho de 2016.

O seu show - sempre cheio - "Amar e Mudar as Coisas", no Rio de Janeiro, já inflamava a paixão de um público saudoso por Belchior e totalmente impressionado com as releituras viscerais de Daíra. No meio do processo de lançamento do seu CD, morre no Brasil o pai de um dos hinos da música brasileira: Como Nossos Pais - Belchior.

O disco foi lançado em 2017, no Teatro Rival, no RJ.

Com todo o burburinho de sua morte, Elba Ramalho - maior cantora representante deste sentimento indescritivelmente nordestino- se encantou no YouTube por Daíra - por seu disco e vídeos com sucessos mas também com músicas pouco conhecidas do poeta como "Princesa do meu lugar" faixa do CLIPE de Daíra.

Elba Ramalho em entrevista no programa Conversa com Bial:
"Tem uma menina, Daíra, canta Belchior muitíssimo bem, gosto muito de ouvir as interpretações de Daíra. Canta a obra toda de Belchior. "

"Daíra canta muito, essa menina canta muito. Não tem um sarau lá na minha casa que a Daíra não vá lá e dê um show." - Programa Por Acaso no Teatro Rival (de Zé Maurício Machline)

A partir daí, Elba se tornou grande madrinha da cantora niteroiense que já estava a encantar pessoas do Brasil inteiro através de seu canal no YouTube, e a convidou para cantar ao seu lado em diversos shows.
Currículo desta jovem e promissora voz da MPB é o que não falta, já tendo cantado ao lado de: Elba Ramalho, Lula Queiroga, Raymundo Sodré, Luhli Borges ( da dupla Luhli e Lucina), Mc Marechal, Danilo Caymmi, Arthur verocai, Roberto Menescal, Eliane Elias (Nova York) Brian Blade(Miles Davis), Luiz Alves, Rafael barata, Lula Galvão, Paulo Russo, Durval Pereira, Julia Vargas, Letícia Novaes (Letrux) a banda El Efecto, Chico Chico, João mantuano, Duda Brack, Rodrigo Garcia, Carlos Dafé, Mc Marechal, Gerson King Combo, o grupo Azymuth, Amanda Acosta, Silvia Massari, Sabrina Korgut, Sérgio Zwrauski, entre outros.

 

Recentemente foi aplaudida de pé no programa Senhor Brasil- Rolando Boldrin conquistando mais e mais fãs. Não é recente a sua conexão com a televisão. Daíra aos 10 anos de idade, estreava na TV Globo no programa Gente Inocente. Também participou do programa Som Brasil ao lado de Menescal e foi entrevistada por duas vezes no Sem Censura, por chamar atenção com seu trabalho. 

Além de ser atriz de musical engajada desde os 12 anos de idade, Daíra foi destaque no musical Baby aos 21 anos, quando Bárbara Heliodora escreveu uma boa crítica a seu respeito, este foi o período que com a professora Mirna Rubim, Daíra consolidou sua especialização na técnica vocal, que vinha construindo, quando ingressou na faculdade de música Unirio, sendo considerada pela sua professora, na época, como a aluna do Rio de Janeiro que mais dominava a técnica norte-americana do "Belting".
Em 2019, com o amadrinhamento da cantora Elba Ramalho, e crescente expressividade na internet, Daíra realizou uma turnê pelo Brasil, e lançou um programa de música e entrevistas junto com a cantora e compositora consagrada Luhli Borges, com 2 episódios já publicados e ainda 3 por vir. Por essas e outras Daíra já se consagra na parede da memória da música brasileira e no quadro das estrelas do Brasil.